sábado, 6 de março de 2010

Rosa Negra




Tu conseguiste
Recuperar todos os pedaços.
E, com eles construíste
Um novo porto de embarque.
O único barco que lá pára,
É de um rapaz especial.
É daquele que tem o coração mais puro e humilde
E completamente livre do pecado mortal.
É ele que alimenta e rega
Aquela pequena rosa negra,
Protegendo-a de todos os ventos fortes
E tempestades de areia.
É o único ser mortal
Daquele porto de abrigo.
Mas é um milagre
Ter sobrevivido.
Tantas pancadas de ventos fortes.
Tanta sede causada pelas secas vindas do norte.
Tanta tristeza e tanto sofrimento
Causado por um único sentimento.
Tu, sem saberes,
Com pequenos gestos de carinho e preocupação,
Alimentaste-a e com pequenos olhares e toques,
Regaste-a.
Assim, foi crescendo,
Negra e Selvagem!
Pois é assim Que Sou
Livre como uma miragem!

Keli Ruthven

(escrito por A.Teresa)


1 comentário:

  1. E a verdade é que te sinto mesmo como uma "miragem", por vezes, por muito que te tente alcançar, foges-me por entre os dedos.
    Ai de ti se te afastas de mim, outra vez! Puxo-te pelos braços, pernas, cabelos e orelhas!! ;D

    ResponderEliminar