quinta-feira, 8 de abril de 2010

“Sótão dos sonhos perdidos”



Algo fervilha dentro de mim.
Uma onda invade todo o meu corpo...
O interior está em completo êxtase.
As ideias fluem no meu pensamento.
As cores invadem a minha alma.
Não têm dó, piedade do meu estado de espírito,
Do meu corpo fraco e indesefo.

Querem um ser para habitar,
Querem alguém para usar.
Querem ser reais, fazer parte da vida,
Assim precisam de mim.

Mas não sei se consigo.
Não sei se posso!
Tenho o sótão completamente cheio,
A abarrotar de ideias, histórias,
Pensamentos, sentimentos.
O que devo fazer?
O que posso fazer?
Como expulso tudo cá para fora?
Todas as minhas fantasias,
Todos os meus fantasmas...

Enfim, as luzes começam a apagar,
A luz da lua enche o quarto,
Os olhos cansados começam a ceder...
Não posso...
Não sei...
Será?...
Mas...
Talvez...
Oh!
“Amanha tenho tempo, para limpar o sótão dos sonhos perdidos!”

Liadan Tussaud

(escrito por A.Teresa)

Sem comentários:

Enviar um comentário