quinta-feira, 19 de agosto de 2010

Algo predestinado. Algo forte e novo depois de um sonho....

Talvez sejam precisos estes pequenos desvios para crescermos e aprendermos a ver a vida com outros olhos, como se acordássemos de um longo sono profundo.
...A amar as coisas de outra maneira e a senti-las como se fossem algo totalmente novo...



Quando tudo está bem, seguro e confortável, e decidimos dormir para podermos sonhar com algo novo e incrível, tudo pode acontecer, vir uma onda e roubar-nos a areia por debaixo dos nossos pés.
É tão difícil recuperar o equilíbrio. Percebermos que nada está igual e mesmo assim, sabermos como reagir e lidar com tais sentimentos e emoções fortes e inovadores na nossa vida.
Tudo nos marca. Todos nos marcam, tanto positivamente como negativamente, dependendo da nossa maneira de ver e viver cada situação, cada acto, cada palavra...
Neste momento, não sei que marca é que tudo isto vai ter na minha vida. Sei sim, que as marcas que tenho vindo a coleccionar, têm sido negativas e têm me tranformado em algo que não quero mas que não posso evitar...
Mas agora, tantas setas, tantas interferências vindas assim, do nada... não estou a conseguir acompanhar. Isto é para me avaliar? Para saber o quanto sou complexa ou interessante, dependendo dos gostos e comentários, das perspectivas de cada um que me quer estudar? Que quer ver se sou ou não capaz de sentir tal sentimento tão intenso e brutal? Este sentimento que é o amor, a força de me ligar a alguém e de aprender a confiar numa pessoa se não em mim própria e a partilhar algo só meu?



Todos querem me entender. Todos querem saber como sou, como penso e sinto, como vivo. Porquê? Porque não me deixam viver a minha vida em paz? A conhecer este novo sentimento que me percorre todo o sangue, sozinha?

Mas confesso que tudo isto é interessante mas tudo tão repentino e junto? Não consigo respirar e não entendo todos estes sinais.
Queria conseguir juntar as peças e perceber mas nada está a fazer qualquer sentido.
Sinto-me perdida... queria expulsar tudo, esquecer tudo!
Mas tudo está bem gravado na minha mente, e pior, no meu coração.
Não consigo parar de pensar nele. Em tudo o que ele me disse, como me disse. Em todas as imagens que tenho bem presentes na minha mente... em tudo aquilo que senti e queria sentir, estava disposta a sentir... queria e quero estar com ele, ouvir a sua voz e sentir o seu toque. Mas como? Como posso fazer tal coisa se nada sei, sobre nada? Tudo é novo na minha vida, é como se nascesse de novo, e vi-se o mundo pela primeira vez...as cores, os sons, os toques, a suavidade.... Tudo pode acabar com a mesma rapidez como começou e voltar a adormecer...



“Às vezes está mais perto do que julgamos, mas os nossos olhos não vêm para lá das paredes e a nossa alma não sente para lá dos nossos olhos.”

(Pensamentos de dias que têm sido muito...interessantes)
Te Oli


1 comentário:

  1. Gosto mesmo da forma como te expressas.
    Sabes, por vezes, o amor é um caminho muito solitário. Temos medo de avançar e acabar por cair. É dificil eu sei. Mas devemos seguir sempre aquilo que pensamos e acreditamos.
    Estás mesmo de Parabéns! Escreves mesmo bem (:

    Beijinhoo ;)

    ResponderEliminar