domingo, 15 de agosto de 2010

"Qual é a ferida que não sara com o tempo?"

Sinto-me estranha, talvez perdida.
Não sei o que pensar ou como resistir a esta fraqueza que insiste em consumir todo o meu corpo e assim apoderar-se de tudo o que é meu...corpo, sonhos, do meu coração, da minha alma.
Seria mais fácil desistir de tudo. De lutar, de viver.
Mas não posso, não devo...
Tenho que enfrentar tudo e todos, pela minha família, por aqueles que me amam e lutam por mim, todos os dias, constantemente!
Não é justo abdicar do amor, da aventura, do sonho ou desejo, da paixão de viver e de ser feliz, por causa deste sentimento...por causa de ter medo da verdade, de alguém que me pode causar mais dor e mais sofrimento do que aqueles que sinto neste momento.
Mas, nunca ninguém me disse como lutar por tudo isto, por este sentimento, se nunca ninguém o teve para comigo...



Teresa Oli.

Sem comentários:

Enviar um comentário