terça-feira, 19 de outubro de 2010

Tudo para mim...

Tudo está escuro.
Todo o pensamento,
Toda a visão...

Tento me acalmar, tento pensar.
Mas nada acalma esta fúria,
Este ódio,
Esta sede de vingança,
De destruição.


Por vezes penso como me tornei assim.
Um bicho do mato.
Que desconfia de tudo e de todos,
Sem confiar na sua própria sombra.

Andei por vales, montes...
Por sítios tão longínquos da minha imaginação
Mas nada encontrei.
Apenas uma enorme confusão de caminhos e desvios sem fim algum.

Talvez não seja para encontrar as respostas,
A cura para esta solidão.
Talvez esteja destinada a ficar sozinha,
Continuar perdida nestes montes e bosques.

Não sei,
Mas para ser sincera.
Já nada me importa porque
Finalmente durante esta viagem,
Encontrei-me e estou feliz comigo mesma.

Agora espero que nada atrapalhe a minha vida.
A vida que eu escolhi e que vou lutar até ao fim!

Liadan Tussaud
(escrito por Teresa Oliveira)

1 comentário: