domingo, 16 de janeiro de 2011

“Não queria pensar. Não queria despertar memórias dolorosas. Queria apenas existir.”

Tantas desilusões. Tanto esforço só para apenas alcançar um grão de areia deixa-nos exaustos e com vontade de apagar tudo. Desligar os nossos pensamentos e sentir o silêncio a invadir-nos... lemtamente como uma droga que nos deixa o sentido tão apurados, que nos dá coragem para fazer tudo e mais alguma coisa, sem pensamentos, sem receios, sem sentimentos...
Seria tão bom que isso acontecesse mas todas essas acções têm consequências e o dia seguinte não é fácil, pois só conseguimos ter flaxes a passar na nossa cabeça, como peças de um puzzle que não conseguimos solucionar.
Flaxes mais a acumulação de arrependimento e fantasmas que nos vão subcarregando com o passar dos dias, dos anos. Até que um dia entramos num desespero tão grande que só queremos sair do nosso próprio corpo. Arrancar , rasgar músculos, pele, barreira a barreira até nos libertármo-nos deste fato tão pesado e quente, sufocante.
Seria tão bom podermos viver sem vergonhas, medos de sermos criticados por esta ou outra decisão.  Como seria bom!! Mas as pessoas conseguem mesmo ser más e egoístas! Invejosas!
Eu apenas quero ser eu própria e sentir-me bem, realizada e feliz com este fato. Um fato que tento a cada dia que passa, torná-lo mais leve e adaptável a qualquer temperatura, tempestade ou situação.
Apenas eu e a vida, as cores e as coisas mais simples, verdadeiras e puras!
Apenas existir sem fantasmas ou pensamentos a perseguirem-me. APENAS EU PRÓPRIA!



TeresaOliveira 

2 comentários:

  1. Tão linda a minha amora!!!
    Beijinho grande

    ResponderEliminar
  2. Acho que fazes muito bem! A vida é algo demasiado importante e belo para deixarmos escapar, só porque pensamos que a nossa vida deve ser vivida em função dos outros! Sê tu própria, mas para ti própria, nunca para o que te rodeia.

    ResponderEliminar